Como em toda profissão e em todos os cantos do mundo, existem códigos de ética e de conduta que devem ser seguidos visando a proteção do cliente, mas também do profissional. No caso das Personal Organizers não poderia ser diferente.

Exatamente por isso, recentemente no Brasil, a ANPOPAssociação Nacional dos Profissionais de Organização e Produtividade lançou o novo Código de Ética e Conduta dos Profissionais de Organização e Produtividade (clique aqui para ver).

Hoje eu quero conversar com vocês sobre a importância deste assunto. É muito mais que uma formalidade, é realmente um documento importante para você, Personal, se debruçar e seguir à risca. Ele vai te garantir proteção e ainda mais qualidade no atendimento aos seus clientes. Vamos lá?

Você sabia que existe um código de ética e conduta a ser seguido como Personal Organizer? Descubra seus pontos principais e entenda porque ele é tão importante para seu trabalho!

Qual o Objetivo do Código de Ética?

Como citam os próprios autores do Código, vivemos em tempos que colocam à prova nossa conduta e profissionalismo. Sendo assim, o documento deve “servir como guia do que a ANPOP acredita que devam ser os princípios e valores a reger toda a profissão, ajudando os profissionais a escolher a opção mais adequada sob o ponto de vista ético em qualquer circunstância.”

Neste sentido, o Código já começa destacando princípios e valores base que devem ser seguidos pela Personal Organizer: “Servir ao cliente com competência, qualidade, discrição e integridade tratando-os com respeito e cortesia.” Este deve ser o norte de qualquer profissional da organização.

Além disso, três outros pontos ganham destaque:

  • Integridade e honestidade
  • Qualidade e competência
  • Discrição, respeito e cortesia

As obrigações com o cliente, com a profissão, com os colegas e com a sociedade:

Avançando pelo documento, encontramos sessões específicas sobre as obrigações que a Personal Organizer deve ter com seus clientes, com a profissão em si, com seus colegas de trabalho e com a sociedade de forma geral.

Vou trazer alguns dos pontos que acho que mais importantes e também algumas experiências que já vi acontecendo ao longo de todos estes anos atuando como Personal Organizer. Elas servirão para ilustrar alguns tópicos.

Ter respeito pelo cliente e sua casa

  • Oferecer serviços nas áreas em que estiver de fato qualificado;
  • Assumir o compromisso de melhoria e desenvolvimento contínuo;
  • Cobrar o que é legítimo e compatível com a experiência e os serviços oferecidos e com as práticas de mercado;
  • Fazer recomendação de produtos e serviços com os melhores interesses do cliente em mente.

Aqui um exemplo: você recebe comissão dos fornecedores de produtos de organização que usa e os sugere para a sua cliente – mas não informa a ela que você recebe essa comissão.

Gente, é sua obrigação comunicar isso ao cliente e dar a ele opções de comprar produtos similares em outros lugares onde você não tenha acordos, combinado?

  • Evite receber, como presente, roupas e outros materiais que tenham sido descartados pelo cliente durante o processo da organização, inclusive os listados para doação. Estão excetuados os casos em que o cliente houver comprado um item exclusivamente com a intenção de presentear o profissional de organização.

Este tópico eu deixei na íntegra pois ele é muito importante e pode evitar muita confusão durante seus atendimentos. Aqui vai mais um exemplo de situações que vi por aí e causaram muita confusão:

  • Imagine que você e sua cliente estão no processo de descarte e ela te oferece algumas peças, você acaba aceitando. Neste momento a relação entre vocês passa a ser diferente e quando você questionar se um item deve ser doado ou não, pode ser que, na cabeça dela, ela passe a duvidar da sua integridade, se você na verdade não quer o item para si.

Complicado não é? Por isso vale a pena seguir à risca esta questão de não aceitar doações.

O Respeito e Obrigações Com a Profissão de Personal Organizer

  • Realizar de maneira digna a publicidade de sua empresa;
  • Contribuir para a educação do mercado;
  • Exercer práticas comerciais justas;
  • Evitar misturar serviços associados a outras profissões na mesma proposta;
  • Comportar-se em alto nível profissional, de modo a não trazer descrédito à profissão;

Aqui vale um exemplo: sua cliente (famosa ou não) assinou o termo de uso de imagem te dando permissão para usar as mesmas na promoção da sua empresa em redes de mídia social e blog. Mas você acaba citando seu nome e a colocando sob uma perspectiva não muito agradável ao compartilhar essas imagens em grupos de personal organizers, criticando os excessos ou a desordem do cliente.

Toda informação sobre o cliente é confidencial e ele nunca deve ser identificado a não ser com seu consentimento expresso. Isso fere a obrigação de comportar-se em alto nível profissional e não trazer descrédito à profissão, percebe?

Muito cuidado com essas situações.

As Obrigações da Personal Organizer Com a Sociedade Em Geral

  • Zelar para que do exercício de suas atividades não resulte em qualquer agressão ou prejuízo ao meio ambiente e ao patrimônio cultural do país, assim como qualquer espécie de discriminação;
  • Trabalhar estimulando o consumo consciente e o descarte adequado, sempre atentos ao impacto ambiental e a sustentabilidade;
  • Apoiar e contribuir com a sociedade sempre que possível realizando ações como: prestação de serviço sem cobrança de honorários e apoio ao voluntariado.

E Por Fim: As Obrigações Entre Colegas

Este tópico deixei por último, pois ao meu ver, é um ponto delicado. Infelizmente ainda vemos as relações entre colegas de profissão sendo banalizadas, tratadas com desrespeito e falta de lealdade. Este é um ponto muito importante dentro do Código e deixo aqui meus highlights.

  • Tratar os outros membros da ANPOP com respeito e cortesia contribuindo sempre para um ambiente justo, honrado e colaborativo;
  • Respeitar os direitos de propriedade intelectual. Ao divulgar algo que não seja de própria autoria, sempre citar a(o) dona(o) da imagem ou texto;
  • Não discriminar ou referir-se preconceituosamente ao trabalho ou reputação de profissionais da área;
  • Respeitar o espaço de atendimento de outro Profissional;
  • Ao oferecer parcerias e oportunidades de laboratório para outros profissionais, estabelecer propostas justas que contribuam para a experiência dos profissionais e sejam favoráveis a ambas as partes.

Aqui outro exemplo de uma situação que já vi de perto: Imagine que você foi convidada por outra profissional para ministrar uma palestra em um curso da área. Em um primeiro momento você não teria despesas e receberia um valor x por sua participação. No dia do evento, a organizadora corta seu tempo de palestra pela metade, avisa que você terá que arcar com suas despesas pessoais e o valor do cachê pago foi diferente daquilo que vocês combinaram. Resumo: você sai no prejuízo financeiro e moral.

Isso mina os relacionamentos profissionais e quem sai perdendo somos nós e o mercado, pois nem nós expandimos nossos negócios através de parcerias, nem o mercado recebe os frutros delas. É preciso que todos os profissionais da área de organização profissional entendam definitivamente que uma parceria é uma via de mão dupla. Ambas as partes devem sair ganhando.

Mas como evitar este tipo de situação? Um bom contrato já é meio caminho andado. Faça questão de ter um contrato quando você for chamada para uma parceria e quando você oferecer uma também. Esta é uma garantia de que os pingos estejam nos “is” e de segurança quanto a qualquer tipo de calote. Eu mesma já errei neste quesito, trabalhando com colegas na base da confiança, mas como diz o ditado: o combinado não sai caro.

Concluindo…

Estes são apenas alguns dos pontos importantes que este Código de Ética e Conduta nos traz. Além do que citei aqui, por lá você também vai encontrar questões como:

  • Quebra do código de ética e suas penalidades
  • Disposições Gerais
  • Informações sobre a Comissão de Ética da ANPOP
  • E as obrigações com a ANPOP

Por isso, eu recomendo fortemente que vocês leiam os código por completo e estejam cientes de seus princípios e obrigações ao atuar como uma Personal Organizer. Espero ter ajudado! 🙂

Se você tem alguma dúvida sobre o Código de Ética ou gostaria de relatar ou perguntar sobre uma situação relacionada com o assunto, deixe seu comentário abaixo! Até a próxima!

Inscreva-se!

Venha se Tornar Uma Personal Organizer

No Profissão Personal Organizer® você aprende Marketing, Negócio e Empreendedorismo para criar, promover seu negócio de organização e ser contratada. Click abaixo e comece o curso hoje!

Similar Posts

6 Comments

  1. Concordo plenamente! Muito importante este artigo e acho essencial a existência de um código de ética para as profissionais de organização. Especialmente aqui em Portugal, em que a profissão ainda não é reconhecida por todos e não está regulamentada.

  2. Ola Helena, isto, com certeza, auxilia muitas pessoas envolvidas neste trabalho. Muito grata pelo post!
    Mila

  3. Patrícia says:

    Excelente conteúdo. Estou em processo de transição de carreira e quero iniciar minha jornada como PO da maneira mais profissional possível. Com certeza vou ler o código de Ética. Valorizo muito uma conduta séria, respeitosa e ética.

  4. Suas colocações são perfeitas!
    Obrigada por compartilhar conosco
    Parabéns pela nova fase ????

  5. Oi Helena. Foi muito bom você falar sobre isso.
    Quando fiz meu curso on line a 3 anos atrás, a Personal Organizer falou mal de outra Personal, que é muito conhecida. A chamou de nojenta. Fiquei arrasada com isso, foi anti ético, e nem a sigo mais. Terminei o curso e jurei a mim mesma nunca cometer esse erro gravíssimo.
    Devemos ter respeito com todos, independente da profissão.
    Abraço grande.

  6. Rosângela says:

    Helena,
    Quanta importância em tudo que foi compartilhado.
    Muito obrigada sempre ????

Leave a Reply

Your email address will not be published.